“Um governo que corta R$ 7,4 bilhões na educação e libera 12,3 bilhões aos deputados, em troca de votos à reforma da Previdência, comete dois crimes simultâneos: condena o futuro da juventude e do País”

A CUT manifesta seu integral apoio às lutas da juventude e dos estudantes porque está convencida de que um país que não valoriza a educação e a juventude não tem futuro.

A ignorância e insensatez de governantes não destruirão a esperança de milhões de jovens, diz Vagner

Podem contar com a CUT Nacional, as CUTs Estaduais, Confederações, Federações e Sindicatos filiados. Estamos de portas abertas para ajudá-los nesta luta importantíssima para o desenvolvimento do Brasil, com justiça e inclusão social de todos os brasileiros e brasileiras.

Um governo que corta R$ 7,4 bilhões na educação e libera 12,3 bilhões para os deputados, em troca de votos a favor da reforma da Previdência comete dois crimes simultâneos: condena o futuro da juventude e do país; e retira de todos, jovens e idosos, o direito a uma aposentadoria digna em futuro incerto.

A insensatez e a ignorância de governantes não vão destruir a esperança de milhões de jovens e suas famílias porque nossa juventude tem garra, espírito de luta e sabedoria. E tem a seu lado a CUT, a maior central sindical do país.

As escolas e universidades são espaços onde deve florescer a liberdade, a exploração de possibilidades, a ciência e a inventividade.

A energia manifestada pela nossa juventude nos enche de esperança e nos convoca a todos e todas a nos mobilizarmos juntos por esta causa.

Estaremos ao lado de seus pais, convocando-os a se juntarem a seus filhos nesta luta justa, apoiando também a greve nacional da educação, que será realizada dia 15 de maio.

Está greve faz parte da luta contra a reforma da Previdência, por ensino público de qualidade, contra os cortes do orçamento da educação, contra a destruição pesquisa e de todas as políticas públicas que asseguram o acesso à educação para a juventude brasileira.

Por isso, a CUT está convocando um Dia Nacional de Luta de todas as categorias em apoio a greve da educação, um esquenta para a greve geral marcada para o dia 14 de junho em defesa da aposentadoria e dos direitos dos trabalhadores.

A reforma da Previdência precisa ser derrotada para impedirmos que este governo irresponsável encha os cofres dos banqueiros e destrua as esperanças da juventude e a dignidade dos idosos.

A greve nacional da educação e a geral são em defesa do presente e do futuro do Brasil e do povo brasileiro. Por isso, estaremos juntos nas duas mobilizações.

Vagner Freitas
Presidente Nacional da CUT

 

Portal da CUT